segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Inauguração do site What's Rel?

Caros Colegas Analistas,

é com muito orgulho que escrevo o último post do blog para anunciar a inauguração do nosso site: www.whatsrel.com.br

Agradeço a todos os leitores do blog pela  participação e confiança neste projeto que desenvolvi aqui durante 03 anos! Espero continuar contando com o apoio de vocês no nosso novo endereço.

No aniversário de 03 anos do What's Rel? convido a todos para conhecerem nossa página que vem cheia de novidades e um sorteio relâmpado, então acessem logo!


Foto de comemoração ao finalizar o site ontem a noite


Conto com vocês na continuação deste projeto que eu acredito tanto e faço com muito carinho!

Muito obrigada!

Elisa Pernisa

Acessem: www.whatsrel.com.br 

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Mercado de Trabalho para os Analistas Internacionais - Dados Estatísticos

Caros Colegas Analistas,

Em 2014 o Blog vem cheio de novidades. No próximo mês, iremos realizar muitas mudanças no nosso aniversário de 03 anos! \o/ \o/ \o/

Mas antes que isso aconteça, eu gostaria de agradecer a todos os leitores pela participação, pela confiança e pelo carinho. Recebi centenas de e-mails e mensagens ao longo do ano que se passou e respondi a todos eles com muita atenção. Para o primeiro post do ano, decidi compartilhar informações do mercado de trabalho para os analistas internacionais!

O Centro de Serviço e Carreira (CSC) da PUCMINAS realiza anualmente uma pesquisa com os egressos de R.I. no intuito de fazer um levantamento sobre a situação profissional dos ex-alunos do curso e sua atuação no mercado de trabalho.


Como vários leitores haviam me pedido dados estatísticos sobre este assunto, pedi autorização do CSC para compartilhar o resultado desta pesquisa com vocês. Nesta pesquisa você vai poder ver informações sobre quanto tempo os ex-launos demoraram para conseguir seu primeiro emprego, áreas de atuação, estágios, faixas salariais, atividades desenvolvidas, grau de satisfação, entre outros tópicos.

A pesquisa refere-se ao ano de 2012: 
http://ri.pucminas.br/site/administrador/login_administradores/site/mercado/arquivos_resultados/doc_12.pdf

Agradeço à PUCMINAS novamente por ter liberado a divulgação dos resultados da pesquisa.

Aproveite a oportunidade para deixar seus comentários aqui!

Até o próximo post!

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Direitos Trabalhistas para Funcionários de Embaixadas/Consulados no Brasil

Caros Colegas Analistas,

Já mencionei aqui no blog, em diversas oportunidades, sobre as questões trabalhistas relacionadas às Representações Diplomáticas estrangeiras no Brasil e do Brasil no Exterior.
Para ilustrar esta situação, decidi postar o link abaixo com uma matéria muito interessante que passou no Bom Dia Brasil esta semana falando sobre o caso de um funcionário de uma Embaixada em Brasilia que foi demitido e entrou na justiça contra seu antigo empregador por ter tido vários de seus direitos desrespeitados. Não quero desmotivar ninguém a trabalhar em Embaixadas, mas apenas alertá-los. Novamente.



Conto com seus comentários aqui no blog!


segunda-feira, 30 de setembro de 2013

O Mercado de trabalho para os Analistas Internacionais nas Representações Diplomáticas Brasileiras no Exterior

Caros Colegas Analistas,

Já faz algum tempo que tenho recebido muitos, infindáveis pedidos para publicar informações sobre o mercado de trabalho para os analistas internacionais nas embaixadas brasileiras no exterior. Uma lista de emails cheios de dúvidas que tenho tentado responder ptontamente. Até mesmo por isso minha ausência aqui no blog. Acabo dando prioridade em responder aos leitores mais participativos.

Começo esclarecendo que não tenho experiência neste mercado e que por isso, para fazer este post eu fiz pesquisas na internet, como acesso às mesmas informações que qualquer pode ter, ok? Pode ser que, com a minha experiência em embaixadas e consulados de outros países no Brasil eu até consiga ler algo nas entrelinhas, mas preciso destacar novamente a importância da pró atividade e do foco quando se busca ingressar numa nova carreira. 

Além disso, gostaria de aproveitar este espaço para convidar algum ex-funcionário de embaixada/consulado do Brasil no exterior que queira dar seu depoimento a me conceder uma entrevista aqui no Blog. Seria de grande valia para nossos (futuros) analistas. Vale ressaltar que, eu já venho buscando algum contato faz tempo, e entendo a dificuldade de encontrar um voluntário: para trabalhar nestes organismos quase sempre temos que assinar um contrato de confidencialidade o que se torna em grande medida uma barreira. Ainda assim, podemos pensar num formato de colaboração que não prejudique o profissional entrevistado e possibilite a participação.

Fonte: unigamesity

Sobre o o mercado de trabalho dos analistas internacionais nesta área verifiquei uma informação muito importante: a lesgislação trabalhista brasileira não é necessariamente aplicada aos funcionários das representações brasileiras no exterior. No Brasil, independente de qual embaixada/consulado você trabalhe, o que prevalece são as leis de trabalho brasileiras no regime de CLT.  Sobre este assunto encontrei uma publicação no site do senado de julho de 2013 com noticias importantes. O "Projeto em exame na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) estende direitos trabalhistas básicos a brasileiros contratados fora do país para atuar em representações oficiais no exterior. Pelo texto do senador José Sarney (PMDB-AP), eles passariam a desfrutar de garantias como o 13º salário, férias com adicional de um terço, licenças maternidade e paternidade, entre outros." Para ler o texto na íntergra, clique aqui.

Continuando minha pesquisa acabei me deparando com diversos editais publicados nos sites das embaixadas/consulados brasileiros. Como exemplo vou colocar alguns links abaixo que já expiraram, mas de antemão já quero deixar algumas dicas:

- Se tem interesse em trabalhar em algumas destas representações no exterior, entre no site destas embaixadas/consulados periodicamente e acompanhe as publicações.
- Além disso, entre em contato por telefone ou email e solicite informações sobre como são os processos seletivos nestes organismos.
- E por último, esteja ciente de que para trabalhar em qualquer país, especialmente em representações governamentais, sua situação no país deve estar regularizada, ou seja, seu visto ou cidadania devem estar em dia!

Editais/sites:
- Embaixada do Brasil em Londres:
http://www.brazil.org.uk/

- Embaixada do Brasil em Paris:
http://sistemas.mre.gov.br/kitweb/datafiles/Paris/fr/file/01-2013%20Edital%20assinado(1).pdf

- Embaixada do Brasil em Wellington (NZ):
http://www.brazil.org.nz/page/home-por.aspx

- Embaixada do Brasil em Berlim:
http://berlim.itamaraty.gov.br/pt-br/processos_seletivos.xml

- Embaixada do Brasil em Roma:
http://sistemas.mre.gov.br/kitweb/datafiles/Roma/pt-br/file/Edital%20Concurso%20AST%20_2_.pdf

- Embaixada do Brasil em Lima:
http://www.perubrasil.com/system/embajadabrasil/download/Processo%20seletivo%20para%20a%20contrata%C3%A7%C3%A3o%20de%20um%20auxiliar%20administrativo%20para%20o%20Centro%20Cultural%20Brasil-%20Peru.pdf

- Embaixada do Brasil na Haia:
http://www.brazilianembassy.nl/downloadables/edital_contador.pdf

Gostou do Post? Quer ser entrevistado?
Deixe seu comentário aqui no blog!





terça-feira, 6 de agosto de 2013

O Mercado de Trabalho para os Analistas Internacionais em Brasília

Em fevereiro deste ano escrevi um post sobre o ‘Mercado de Trabalho para os Analistas Internacionais no Sul do Brasil' (que você pode ler clicando aqui), que acabou sendo um dos recordistas de acessos e feedbacks dos leitores do blog. Por este motivo, resolvi escrever outro post, nos mesmos moldes do primeiro, mas agora sobre outra localidade brasileira. Abri um espaço na nossa página no Facebook e recebi diversas sugestões.

Um dos lugares sugeridos foi Brasilia, e por já ter morado lá, me senti mais confortável em escolher a capital federal como tema desta publicação. Mas fiquem atentos, pois este não será o último post sobre um mercado brasileiro específico. Mais um motivo para deixar seu feedback no blog para futuras publicações.

Morei em Brasília de julho de 2010 até dezembro de 2011. Durante este um ano e meio participei de dezenas de processos seletivos e trabalhei em 3 lugares diferentes: uma consultora de projetos japonesa, uma Embaixada caribenha e uma Embaixada árabe. Posso dizer que todas elas foram muito importantes para mim profissionalmente e que tive a oportunidade de aprender diversas funções e, sobretudo, como funciona a dinâmica mercadológica da capital.

Palácio do Itamaraty

Brasília é um local com características empregatícias muito particulares.Aliás, tudo em Brasilía é muito peculiar. A maior parte da população, ou é formada por funcionários públicos ou por aspirantes à carreira, os chamados ‘concurseiros’. É quase que obrigatório falar sobre o tema quando se reside lá. 

A minha mudança para a cidade foi por motivos particulares e não conhecia praticamente ninguém quando fui pra lá. Se buscar uma nova colocação profissional já é desafiador o suficiente quando temos uma boa rede de relacionamentos, o que dizer quando não se conhece ninguém? Especialmente na cidade em que o “Q.I.” (Quem Indica) é quase quesito obrigatório. Mas não desanime por pior que pareça. É difícil, mas não é impossível. E eu vou lhe mostrar como.

Eu sempre tive em mente que a carreira no setor público não era pra mim. Diferente da grande maioria que entra no curso de Relações Internacionais, nunca nem cogitei a possibilidade de prestar o concurso para o Instituto Rio Branco, ou qualquer outro (sem desmerecer em nenhum grau as pessoas que têm este sonho). O que não significa que eu não queria ter experiência na área diplomática. Morar em Brasília deixou isso cada vez mais claro para mim.

Como mencionei anteriormente, Brasília vive em torno do funcionalismo público, realidade esta que vi de perto e me foi muito frustrante. Grande parcela dos concursados optou por esta carreira pela estabilidade, pelos altíssimos salários e muitas vezes, carga horária reduzida. Vejam bem, eu estou aqui generalizando um cenário. Não tomem a minha opinião neste sentido como a verdade absoluta. Eu também conheço pessoas que ingressaram na carreia com ideais de mudar o país e que trabalham com afinco para que isso aconteça. Entretanto, grande parte não faz mais do que contar as horas para bater o cartão do ponto, enquanto empurram o trabalho com a barriga. Assim, se eu alguma vez tive dúvidas sobre ingressar neste meio, poucos meses de capital já haviam me provado o contrário.

Para aqueles que têm interesse em concursos públicos, sugiro verificar a seção do blog indicada na nossa página inicial em 'concursos'. Não desanimem da área pela minha visão um tanto quanto negativa a respeito. Estou usando este espaço para compartilhar minhas experiências e o leitor pode e deve utilizá-las como quiser!

Definido o que eu não queria fazer em Brasília, foi hora de focar naquilo que eu queria. Até então eu sempre havia trabalhado no setor privado e em Câmaras de Comércio, que geralmente atuam como instituições sem fins lucrativos. Na capital federal não há muitas empresas, muito embora várias delas tenham um escritório de representação na cidade, com poucos funcionários. E as Câmaras de Comércio geralmente não oferecem boa remuneração e não são muito atuantes por lá.

Desta forma, decidi focar nas Embaixadas e nos Organismos Internacionais (O.I.'s). Feito isso, comecei uma pesquisa profunda sobre todas estas instituições na cidade. Minha primeira fonte foi o site do Itamaraty, em que são informadas todas as representações diplomáticas no Brasil (http://www.itamaraty.gov.br/cerimonial/corpo-diplomatico), tanto embaixadas quanto O.I.’s. As vezes o site não está muito atualizado, mas é uma fonte confiável. Coloquei todos os contatos numa planilha e priorizei aqueles que tinha mais interesse em trabalhar. Liguei para TODOS eles e perguntei se havia alguma vaga aberta e/ou se poderia deixar meu currículo caso alguma vaga aparecesse. Fiz meu currículo em português, inglês e espanhol, e levei pessoalmente a TODAS as Embaixadas e O.I.’s que eu gostaria de vir a trabalhar. Regra básica: não pode ter preguiça. Para saber mais sobre a minha saga nestes processos seletivos você pode clicar aqui e aqui.

Da minha experiência na consultora eu descobri que tenho dificuldade em trabalhar com japoneses. Ótimas pessoas, uma cultura incrível. Mas mesmo pra mim, que trabalho muito, visto a camisa do time, e adoro o que faço, os níveis de exigência e comprometimento com o trabalho dos japoneses é algo espantoso, com os quais eu não consegui me adaptar. O que ficou de lição e aprendizado para a minha carreira. Para a minha vida.

Participei de uma enxurrada de processos seletivos em Embaixadas. Cada vez chegando mais perto, na medida em que ia aprendendo com os processos e recebia feedbacks dos examinadores. Até que passei para ser assessora de uma embaixadora de um país caribenho. Como eu fiquei feliz no dia que fui selecionada. Eu enfim tinha conseguido um emprego numa embaixada em Brasília, sem indicação de ninguém.

Ambiente de trabalho super tranquilo e agradável, e minha grande oportunidade de ter experiência no meio diplomático. De repente, porque eu estava trabalhando numa Embaixada, parecia que "todo mundo me queria". Dos currículos que havia praticamente 'panfletado' nas Embaixadas, eu comcei a receber diversos telefonemas me chamando para entrevistas. Fato é: é muito difícil entrar neste meio sim, mas uma vez lá dentro, muitas portas se abrem. Por isso, mesmo não tendo começado na carreira numa Embaixada que era minha primeira opção, eu sou muito grata e feliz pela oportunidade que tive.  

Festa da Data Nacional


Trabalhando neste meio eu acabei conhecendo outra fonte ótima de contatos das representações diplomáticas: o Guia Diplomático. Acessando este link você encontrará várias informações sobre as Embaixadas: http://www.guiadiplomatico.com.br/Paises/ e O.I.’s: http://www.guiadiplomatico.com.br/Organismos-Internacionais/ em Brasília. O Guia é atualizado anualmente e lançado todo mês de julho. Para os assinantes e na versão impressa é possível saber quem são os diplomatas alocados em cada representação, o que pode auxiliar no direcionamento da sua busca por emprego se você tiver interesse em algum setor especifico.

Os salários pagos são muito bons, podendo variar de R$2.000,00 a R$15.000,00, dependendo do cargo, experiência, organismo e carga horária de trabalho. A maior parte das Embaixadas trabalha em média de 30 a 35 horas por semana, mas existem aquelas que cumprem as 40 horas semanais ou funcionam até sábado.

Outra boa fonte de busca de empregos em Brasília é outro link do Itamaraty: http://www.itamaraty.gov.br/temas/oportunidades. O jornal local, o Correio Braziliense, sempre publica vagas nas edições de quinta e domingo. Para quem já mora em Brasília, vale a pena acompanhar as noticias que saem quando alguma Embaixada está se instalando na cidade, pois sempre que chegam elas contratam muitas pessoas.

Outra possibilidade de carreira é trabalhar nos gabinetes dos deputados e senadores. Na época em que buscava emprego na cidade vi vários anúncios nos jornais, mas não tinha nenhuma experiência relacionada à área e por isso não participei de nenhum processo neste setor. No site da Patri é possível buscar mais informações sobre esta carreira: http://www.dicas.com.br/site/. Frequentemente eles divulgam processos seletivos por lá.

Abaixo, aproveitei para listar alguns Organismos Internacionais presentes na capital federal:
·         Medico Sem Fronteira (www.msf.org.br)
·         WWF (www.wwf.org.br)
·         Visão Mundial (www.visaomundial.org.br)
·         UNODC (www.unodc.org)
·         Caritas (www.caritas.org.br)
·         AFD (www.afd.fr)
·         CDT (www.cdt.europa.eu)
·         EDA (www.eda.europa.eu)
·         Banco Interamericano (www.iadb.org)
·         Banco Mundial (http://web.worldbank.org)
·         CEPAL (http://www.eclac.cl/brasil/)
·         Cruz Vermelha (www.cicr.org)
·         UNICEF (www.unicef.org.br)
·         UNIFEM (www.unifem.org.br)
·         OAS (www.oas.org)



SE VOCÊ TEM ALGUMA OUTRA DICA OU INFORMAÇÃO, COMPARTILHE CONOSCO AQUI!

terça-feira, 9 de julho de 2013

Missões Internacionais de Petróleo & Gás: Noruega e Alemanha

Caros Colegas Analistas,

Há algumas semanas não consigo atualizar o blog pois meu trabalho vinha me consumindo muito tempo e energia. Eu estava organizando e participando de duas missões internacionais na área de petróleo, gás e inovação (na qual trabalho há cerca de um ano) e por isso não tive como marcar presença aqui no blog.

Assim, achei bastante justo compartilhar com vocês um pouco desta experiência profissional que tive recentemente, até para que vocês pudessem conhecer um pouco mais sobre a atuação de um analista internacional no mercado do petróleo e gás.

Durante uma semana estive na cidade de Bergen, na Noruega, onde se localiza um dos maiores clusters de subsea do mundo. Nos dias 18 e 19 e junho, participei de uma feira, a UTC, acompanhando uma delegação brasileira interessada em prospectar negócios nesta área, trazendo para o Brasil o que há de mais moderno em equipamentos e serviços. Nesta missão, eu participei como membro da delegação, representando uma instituição e agora estamos em fase de redigir os relatórios. Assim, as empresas que foram na missão, e aquelas que não puderam comparecer, terão acesso às informações levantadas durante esta viagem.


Delegação brasileira na UTC

Uma ótima oportunidade de conhecer mais sobre o setor e de fazer networking de altíssima qualidade. Além disso, por ja ter morado na Noruega, tive a oportunidade de rever lugares, e experimentar de novo o melhor chocolate do mundo, na minha opinião, bem como arranhar o meu norueguês que estava adormecido por falta de prática. 

A visita à feira foi muito produtiva e, antes disso, ainda tivemos a oportunidade de visitar algumas plantas fabris e fomos muito bem recebidos. Outro ponto alto da visita foi o jantar que nos foi oferecido pelas empresas que nos receberam, em que pudemos degustar outras delícias locais como o carpaccio de carne de baleia e o bacalhau  'direto da fonte' (ainda não salgado, conhecido como Kod fish). Não subestimem a importância dos jantares nessas ocasiões, pois são os melhores momentos para realizar networking. Durante a feira e as reuniões, todo mundo está sempre muito focado no produto e serviço, e não sobra muito tempo pra interagir. Importante frisar isso pois, muitas vezes, nas missões internacionais, ocorrem oportunidades de negócio entre as empresas brasileiras que fazem parte da delegação, antes mesmo de terminada a viagem.

Infelizmente eu não posso mencionar aqui mais informações sobre a viagem, mas acho que deu uma pequena ideia sobre a atuação na área.

Na missão à Alemanha o meu papel foi outro. Minha empresa foi contratada para fazer a missão, do início ao fim e, por isso, fiquei responsável por montar toda a agenda de reuniões, visitas e conteúdo do trabalho. Tudo começou com uma pesquisa de mercado, identificando os potenciais para parcerias entre Brasil e Alemanha, no setor de petróleo e gás, em nove segmentos especificos. Estávamos representando cerca dez empresas brasileiras, e cobrimos duas regiões específicas na Alemanha, onde se concentra a maior parte das empresas destes segmentos no país.

Depois de identificados os potenciais parceiros, é preciso pensar em toda a logistica da viagem, e sempre ter uma lista de contatos no seu plano B, afinal, nem todo mundo tem disponibilidade pra te receber de acordo com a sua agenda. Daí começou a loucura de tentar acompanhar o fuso horário da Alemanha para fazer as ligações dos agendamentos. Levantando de madrugada e trabalhando também em horário integral brasileiro. Vocês podem imaginar a minha alegria quando eu finalmente voltei da viagem e consegui dormir uma noite inteira, não é?

Reunião em uma das empresas alemãs


Todo o esforço valeu muito a pena dado que não somente nossos clientes brasileiros, mas também as empresas alemãs ficaram muito satisfeitos com o resultado da viagem. No presente momento estamos trabalhando na redação dos relatórios para formalizarmos a coleta de dados. Preciso dizer que fiquei impressionadissima com as empresas visitadas e como os alemães investem em pesquisa e desenvolvimento. 

Para nós, analistas internacionais, o que vejo como diferencial de nossa atuação neste tipo de trabalho é como lidamos com as diferenças culturais para construir as pontes entre as outras culturas e a nossa, levando em consideração as expectativas de tantos stakeholders envolvidos. É dominar outro idioma, ser comunicativo, se adaptar com facilidade a ambientes hostis. Saber como lidar com pessoas tão diferentes dentro de um mesmo grupo. Gerenciar divergências de opinião e aprender sobre qualquer coisa, nas situações adversas. Foi a minha primeira viagem à Alemanha e no fim deu tudo muito certo.

Que venham as próximas!








quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

O Mercado de Trabalho para os Analistas Internacionais no Sul do Brasil


Quando comecei o blog, há dois anos, meu público era formado basicamente pelos meus amigos e colegas de Relações Internacionais da PUCMINAS. Quase somente mineiros.  Aos poucos, os amigos dos amigos foram chegando (alguns nem são de RI, mas gostam do tema). Depois criei a página no Facebook e a conta no twitter. De repente tinha gente de todos os cantos do mundo por aqui.

Por mais acessos que tenha de vários lugares, depois dos leitores mineiros, o Sul do país tem forte presença aqui no blog. Seja comentando os posts, enviando dúvidas, e-mails, mensagens, e tudo mais que a comunicação permitir. Fico muito feliz com este feedback pois é através dele que posso postar aqui aquilo que realmente interessa aos leitores. Além disso, acredito que muitas dúvidas são comuns a todo analista internacional ou aspirante à carreira.

Por este motivo, decidi fazer um post especial dedicado aos leitores do Sul do Brasil: Rio Grande do Sul (RS), Santa Catarina (SC) e Paraná (PR), no intuito de poder responder às várias de suas dúvidas e trazer mais informações sore o mercado de trabalho nesta região do país.

Embora seja um post especial focado na região, vale ressaltar que os leitores mais atentos, podem se basear nas dicas e nas fontes que utilizei para pesquisa e buscar informações sobre seus estados. Logo, recomendo a leitura deste texto a todos os (futuros) colegas analistas internacionais.

Além do forte mercado consumidor interno, a região é conhecida pelas fortes atividades exportadoras, consequente de sua sólida e crescente cultura industrial e agropecuária, o que é facilitado especialmente devido aos seus famosos portos de Paranaguá (PR), Imbituba, Laguna, de São Francisco do Sul, Itajaí e Itapoá (SC) e de Rio Grande e Porto Alegre (RS). Por esta razão, é natural que apareçam muitas vagas na área de importação e exportação, logística, vendas, trading e negócios, com salários que podem variar entre R$800,00 a R$9.000,00 Reais.

Além disso, a região possui uma ótima malha ferroviária, rodoviária e a Bacia Platina que, além do transporte é responsável pela maior fonte de energia elétrica do país e região platina, em função da Usina Hidrelétrica de Itaipu. Logo, é inevitável que a indústria de automóveis e a indústria naval ofereça muitas vagas de emprego.

Se estas informações estiverem corretas (sou mineira, e por isso pesquisei grande parte do que está escrito aqui), os leitores do sul já estão cansados de saber disso. No entanto, elas são muito relevantes na definição das características do mercado de trabalho para os analistas internacionais. Tudo isto porque, as características econômicas e políticas de determinado local, associado ao empreendedorismo individual e qualidade da infraestrutura disponível, basicamente definem o seu mercado.

Mas então, quais são as opções de carreira que o Sul nos apresenta? Para responder a esta pergunta acho sempre importante começar pesquisando os governos locais (estado e prefeituras, especialmente das capitais) e ver qual o foco de suas secretarias de desenvolvimento econômico. A partir daí, dá para se ter uma melhor ideia das áreas, e depois seguir para os setores público, privado, terceiro setor, diplomacia, e etc. Para facilitar a leitura, a partir de agora irei tratar dos três estados separadamente.


RIO GRANDE DO SUL


O Rio Grande do Sul, por exemplo, possui uma Secretaria de Relações Internacionais (http://www.relinter.rs.gov.br/), com áreas voltadas para a Integração Latino-Americana, Núcleo de Fronteira RS, Políticas de Cooperação, e Relações Consulares, abrindo espaço para os analistas internacionais com interesse em focar a carreira no setor público, ou mesmo trabalhar puramente com RI focando nas áreas de cooperação, planejamento, políticas públicas, entre outras.

Além disso, segundo a Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção ao Investimento (AGDI-http://www.sdpi.rs.gov.br/?model=conteudo&menu=853#pagdi) os principais setores da economia, que recebem incentivos para investimento são: Indústria Oceânica e Polo Naval, Reciclagem e Despoluição, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Calçados e artefatos, Eletroeletrônica, Automação e Telecomunicações, Software, Petroquímica, Produtos de Borracha e Material Plástico, Madeira, celulose e móveis, Bens de Capital/Máquinas, Equipamentos e Implementos Agrícolas e Industriais, Automotivo e implementos rodoviários, Agroindústria, Indústria da Criatividade, Saúde Avançada e Medicamentos, Energia eólica, Semicondutores, Biocombustíveis.

A partir daí, acredito que seja possível vislumbrar infinitas possibilidades de carreira no setor privado, atuando fortemente com pesquisa de mercado, importação e exportação (não necessariamente Comex), negócios, traders, e etc. Importante também tomar conhecimento das principais multinacionais instaladas no Estado que, frequentemente, oferecem oportunidades de ingresso em seu quadro de funcionários através de processos seletivos de trainees: John Deere, Porcelanas Vista Alegre, Sonae, Dell, HP, ThoughtWorks, Alstom, entre outras.

Mas se o seu desejo é seguir o viés diplomático, aqui também é o seu lugar: o Itamaraty possui um escritório em Porto Alegre, o ERESUL, comandado pelo Exmo. Embaixador Claudio Maria Henrique de Couto Lyra. Sim, para trabalhar aqui, só passando no Instituto Rio Branco (a menos que seja uma vaga de estágio). Outra opção, para aqueles não dispostos a encarar o concurso, são as representações diplomáticas de outros países, como Consulados e Organismos Internacionais. Para aqueles que têm interesse em atuar no MERCOSUL, o sul do país como um todo é uma ótima opção.

PARANÁ



Segundo o ex Ministro-chefe do Escritório de Representação do Ministério de Relações Exteriores no Paraná (EREPAR), Sérgio Couri, “o Paraná é um estado vocacionado para as Relações Internacionais”. Historicamente, o estado foi palco de grandes atuações do Barão do Rio Branco, quando da incorporação das Cataratas do Iguaçu ao território brasileiro. O estado também recebeu muitos estrangeiros, oriundos da Ucrânia, Polônia, Itália, Alemanha e Japão, o que o torna culturalmente bastante diversificado.

Assim como o Rio Grande do Sul, possui um escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores, o EREPAR, representado hoje pelo Exmo. Embaixador Sérgio Luiz P. Bezerra Cavalcanti, em Curitiba, garantindo a oportunidade de se atuar como diplomata na região. (Ressaltando novamente a necessidade de se prestar concurso para o Rio Branco para atuar profissionalmente neste escritório).

O Paraná conta também com diversas entidades e organismos do setor internacional, tais como: o Centro Internacional de Negócios (CIN - http://www.cinpr.org.br/), o Conselho de Comércio Exterior da Associação Comercial do Paraná (http://www.acpr.com.br/site/), a Assessoria Internacional da Universidade Federal do Paraná (http://www.internacional.ufpr.br/) , Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (LACTEC - http://www.lactec.org.br/pt/)  e o Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR - http://portal.tecpar.br/)  ambos desenvolvendo projetos com parceiros externos, a Itaipu Binacional (turismo e meio ambiente - http://www.itaipu.gov.br/) . Vale ressaltar ainda que algumas cidades do estado possuem suas próprias Secretarias de Relações Internacionais, a saber: Curitiba, Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Cascavel e Guarapuava.

Importante ressaltar também, para aqueles que desejam trabalhar no setor público, que o  Estado já realizou inúmeras Missões Internacionais à Buenos Aires, Córdoba, Rosário, Montevidéu, Santiago e Assunção, reforçando as oportunidades de mercado para os interessados em investir em uma carreira voltada para o MERCOSUL.

Não poderia deixar de mencionar também o fato de Curitiba ser referência internacional em planejamento urbano, o que por si só atrai a atenção de diversos países à cidade, sendo também uma possível área de atuação para os analistas internacionais.

De acordo com o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES- http://www.ipardes.gov.br/), no estado do Paraná, os seguimentos predominantes da economia são: alimentos, refino de petróleo e veículos automotores, responsáveis por aproximadamente 52% do valor da transformação da indústria estadual. Além disso, o ecoturismo e atividades relacionadas à sustentabilidade são áreas muito desenvolvidas no estado. Empresas como Volvo, Audi, Cargill, Novozymes, Norsk Skog, entre outras grandes multinacionais estão presentes no Paraná e muitas delas oferecem processos seletivos para trainees e outras oportunidades de se fazer carreira.

Por abrigar o maior porto do sul do país, as áreas de logística e comércio exterior apresentam muitas oportunidades de emprego, com vagas para analista de importação e exportação, assistente de desembaraço aduaneiro, atendimento ao cliente internacional, consultor de imigração, entre outras, com salários variando de R$1.000,00 a R$5.000,00 Reais. Os principais países que compraram produtos paranaenses no último ano foram China e Argentina.

SANTA CATARINA


De acordo com a própria Secretaria Executiva de Assuntos Internacionais (http://www.pmf.sc.gov.br/entidades/seai/), órgão da Administração Municipal Direta, suas atribuições são: “coordenar e gerir as ações relativas a assuntos de níveis internacionais vinculados à Prefeitura Municipal de Florianópolis, atuando na inserção em blocos econômicos internacionais, na criação de projetos vinculados a cidades irmãs, firmando convênios e principalmente coordenando os negócios da prefeitura em âmbito internacional. Por ser uma Secretaria Executiva, e não Municipal, é vinculada e subordinada ao Gabinete do Prefeito, conforme organograma da Lei que a originou”.  

O site, infelizmente ainda não possui muitas informações relacionadas ao trabalho desenvolvido pela Secretaria, mas para aqueles interessados em atuar na área, sugiro entrar em contato por telefone e levantar as informações desejadas. Seria ainda mais interessante se alguma universidade local desenvolvesse uma parceria com este órgão para desenvolver um programa de estágio visando efetivações no mercado de trabalho. Lembrando que, muitas vezes, os organismos públicos não oferecem os melhores salários, mas proporcionam um excelente networking.

A economia do Estado é baseada principalmente em atividades de agricultura, pecuária, pesca, turismo, extrativismo e indústria, esta última contemplando grandes nomes como: WEG, EMBRACO, SADIA, PERDIGÃO, CONSUL BRASTEMP, BUSSCAR, além da criação do polo logístico de saúde em Itajaí, com atração de cinco multinacionais: Sanofi, Teva e Lubrizol, Heraeus Kulzer e SanCor. Com base nestas informações, não difícil imaginar que o Estado ofereça muitas vagas de trabalho nas áreas de importação e exportação, trader, despachante aduaneiro e afins, com salários variando entre R$1.00,00 a R$5.000,00 de acordo com o cargo.

Mas se o seu desejo é seguir o viés diplomático, aqui também é o seu lugar: o Itamaraty possui um escritório em Florianópolis, o ERESC, comandado pelo Exmo. Embaixador Abelardo da Costa Arantes Junior. Sim, para trabalhar aqui, só passando no Instituto Rio Branco (a menos que seja uma vaga de estágio). Outra opção, para aqueles não dispostos a encarar o concurso, são as representações diplomáticas de outros países, como Consulados e Organismos Internacionais. Para aqueles que têm interesse em atuar no MERCOSUL, o sul do país como um todo é uma ótima opção.

CONSULADOS:*

PARANÁ:
Consulado Geral da Itália: www.conscuritiba.esteri.it
Consulado da Argentina: R. Benjamin Constant, 67 –Centro Curitiba (41) 3222-0799
Consulado de Portugal: R. Visc. do Rio Branco, 1358 – Centro Curitiba (41) 3233-4211      
Consulado da Áustria: Av. Cândido Hartmann, 570 – Mercês, Curitiba (41) 3336-1166
Consulado da Espanha: R. Visc. do Cerro Frio, 229 - Novo Mundo, Curitiba (41) 3246-1408
Consulado da República do Chile: Alameda Dr. Muricy, 650 – Centro, Curitiba (41) 3225-1369
Consulado Honorário da França: Av. Fernando Amaro, 154 - 1º andar, sala 13 - Maison de France, Curitiba.
Consulado-Geral do Japão: Rua Marechal Deodoro, 630 - Edifício CCI, 18° andar, Curitiba

SANTA CATARINA:
Consulado General do Paraguai - Consulado de la República del Paraguay
Endereço: Rua Saldanha Marinho, 392 - 6º and. Florianópolis - SC
Telefone: 55 (48) 3216-8933

Consulado da Argentina - Consulado de la República Argentina
Endereço: Rua Germano Wendhausen, 273 - 1ro andar - (atrás do Beiramar Shopping) - Centro - Florianópolis / SC
E-mail: consuladoflor@gmail.com
Telefone : 55 (48) 3024-3035/36

Consulado do Chile
Endereço : Av. Rio Branco, 387 Ed. Rio Branco, 4º andar - Florianópolis-SC
Telefone : 55 (48) 3224-2394
E-mail: conhochilefpolis@hotmail.com

Consulado da Áustria
Endereço : Treze Tilhas
Telefone : 55 :(49) 3537-0101

Consulado da Espanha - Consulado de España > Consulado Honorário da Espanha
Endereço : Avenida Rio Branco, 354 - Sala 806 Ed. Maxim - Centro Florianópolis/ Telefone : 55 (48) 3222-0881
e-mail: consuespsc@netviesion.com.br

Vice Consulado Honorário da Espanha
Endereço : Rua Dona Francisca, 260 - Sala 1508 Ed. DeVille - Centro Joinville/SC Telefone : 55 (47) 3422-2309

Consulado de Portugal - CP
Endereço : Rua Av Hercílio Luz , 639, SL 908 - Edificio Alpha Centaury - Florianópolis-SC
Telefone : 55 (48)3225 5586
E-mail: lupi@matrix.com.br

Consulado do Uruguai - CONURU - Consulado República Oriental del Uruguay
Endereço : Av Rio Branco , 387 - 5to. Andar , Centro Florianópolis SC /
Telefone : 55 (048)3222-3718 / conuruflop@yahoo.com.br

Consulado da Itália
Endereço : Rua Fernando Machado, 151 -Florianópolis - SC
Telefone : 55 (48) 3223-3077

Consulado Rep. Federal da Alemanha-CRFA - Deutchland -
Endereço : Rua Caetano Deek, 20 10and. s/1005/1006 Blumenau-SC
Telefone : 55 (47)3322-1172 / 99827343

Consulado Rep. Federal da Alemanha-CRFAL- Deutchland -
Endereço : Rua Arno W. Dohler, 145 - Bom Retiro Joinville - SC
Telefone : 55 (47) 3322-1172

Consulado da Colômbia
Endereço : Rua Cachoeira, 70 - centro, Joinville - SC
Telefone : 55 (47) 3441-3552 / Fax: 34413800


RIO GRANDE DO SUL
Consulate General Of The United States Of América
Rua Riachuelo, 1257, Centro, Porto Alegre – RS,  (51) 3226-3344

Consulado da Grã Bretanha
R Antenor Lemos, 57, Centro, Porto Alegre – RS,  (51) 3232-1414

Consulado da Portugal
R Prf Annes Dias, 112, Centro, Porto Alegre – RS,  (51) 3061-5767

Consulado do Peru
Rua Doutor José Montaury, 20 , Centro, Porto Alegre – RS,  (51) 3225-4622

Consulado do Líbano
R Dr Flores, 263, Centro, Porto Alegre – RS,  (51) 3211-2214

Consulado Geral da Alemanha
R. Prof. Annes Dias, 112, Centro, Porto Alegre – RS,  (51) 3224-9255

Não foram tratadas neste post a opção das Câmaras de Comércio pois, em breve farei um post somente sobre elas. De qualquer forma, fica a lista de contatos.

CÂMARAS DE COMÉRCIO:*

PARANÁ:
Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil: www.brasilportugal.org.br/pr/
Câmara de Comércio Brasil-Itália do Paraná: www.italocam.com.br
Câmara de Comércio de Ind. do Brasil Alemanha: www.ahkbrasil.com
CCFB - Câmara de Comércio França Brasil: Av. Cândido de Abreu, 776 - Centro Cívico, Curitiba (41) 3252-9146.
Câmara Venezuelana Brasileira de Comércio e Indústria: www.camaravenezuelana.com.br
Câmara do Comércio e Indústria Brasil Japão do Paraná: Av. Cândido de Abreu, 200 - Centro Cívico, Curitiba (41) 3253-6448.
Brésil | Câmara de Comércio França-Brasil: www.ccfb.com.br/
Câmara de Comércio Árabe Brasileira: www.ccab.org.br/
Câmara de Comércio Sueco-Brasileira – Swedcham: www.swedcham.com.br/

SANTA CATARINA:
Câmara Italiana de Comércio e Indústria de SC: www.brasileitalia.com.br
Câmara de Comércio e Indústria Venezuela-Brasil: www.venezuela-brasil.org.br

RIO GRANDE DO SUL:
Câmara de Comércio Italiana: www.ccirs.com.br
Câmara de Comércio Italiana-Rio Grande do Sul-Brasil: www.ccirs.com.br   
A CCFB | Câmara de Comércio França-Brasil representação: www.ccfb.com.br/a-ccfb/

*Colaborou nesta seção o Especialista em Relações Internacionais Renato Cunha.

SE VOCÊ TEM ALGUMA OUTRA DICA OU INFORMAÇÃO, COMPARTILHE CONOSCO AQUI!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...